top of page
2Faixa slide mod.tamanho.fw.png

Dica de Leitura: Muito longe do que ele precisa.

A matéria do Terra intitulada "Muito longe do que ele precisa", diz pai de criança superdotada sobre escolas para o filho" aborda a situação de crianças superdotadas no sistema educacional.


Gêmeos Filipe e Lorenzo Foto: Luis Nascimento/Terra

Os gêmeos Filipe e Lorenzo Barros Lopes, que são superdotados, foram inicialmente suspeitos de ter Transtorno do Espectro Autista quando entraram na escola. No entanto, avaliações posteriores revelaram sua superdotação.


A mãe dos gêmeos, Aline Barros, percebeu que eles eram "diferentes" de outras crianças na mesma faixa etária quando tinham apenas um ano e oito meses. Nessa idade, os meninos já começaram a ler e a se interessar por outros idiomas, como inglês e árabe.


Atualmente com 7 anos, Filipe e Lorenzo estudam em uma instituição de ensino particular em São Paulo. No entanto, Aline relata que teve muita dificuldade para encontrar uma escola preparada para atender seus filhos superdotados.


Os gêmeos têm interesses diferentes: Filipe gosta de estudar geografia e astronomia, enquanto Lorenzo é fascinado por ciências. Apesar de gostarem de ir para a escola, eles se sentem entediados com as atividades fáceis e desejam tarefas mais complexas.


A matéria também menciona Benjamin Marques, um menino superdotado de 6 anos que aprendeu sozinho a falar inglês fluentemente. Ele também expressa insatisfação com a escola porque sente que não está aprendendo nada.


A reportagem destaca a necessidade de capacitação nas instituições para receber alunos superdotados e enfatiza a inclusão desses alunos na Lei nº 12.796/2013.

FONTE: terra.com.br

Veja a matéria completa acessando:

24 visualizações1 comentário

1 commento


Matérias como esta é fundamental para diminuir o abismo entre a teoria e prática, ou seja, a efetivação da legislação. Parabéns pela matéria e à plataforma pela divulgação.


Mi piace
bottom of page